O E-mailzaço organizado pelo Instituto OPS já recebeu pedido de envio de mais de 11 mil e-mails aos deputados estaduais de Mato Grosso e à ouvidoria do Tribunal de Contas do estado, solicitando que o PL dos Marajás seja arquivado ou retirado de pauta. Os disparos são sendo feitos por lote, evitando assim o spam.

Enviado à Assembleia Legislativa de Mato Grosso pelo TCE-MT, o projeto de lei Nº 15/2020 prevê a criação de verba indenizatória de R$ 35 mil para cada um dos conselheiros do tribunal de contas e procuradores do Ministério Público de Contas do estado (MPC-MT), o que elevaria os ganhos mensais para acima de R$ 70 mil.

O montante anual pode ultrapassar R$ 5,5 milhões, valor suficiente para minimizar a fome das mais de 80 mil famílias que vivem hoje na extrema pobreza no estado.

O E-malizaço continuará por mais alguns dias e entidades como o Observatório Social de Mato Grosso, presidido pela auditora aposentada do TCU Elda Valim, está no “front” tentando convencer parlamentares a não votarem a favor do projeto.