A semana em minutos

Um avião chamado Brasil


A Semana em Minutos, seu resumo de notícias semanais.

Dia 23 (domingo)

A semana começou com a 23ª Parada do Orgulho LGBT que ocorreu em diversas cidades brasileiras, mas muitas pessoas não sabem como surgiu este evento. Por isso vou dar aqui meus 30 segundos de historiador.

Assista, ao invés de ler

Há 50 anos, mais precisamente no dia 28 de junho de 1969, num bar em Nova York conhecido por ser um “bar gay” chamado Stonewall In, ocorreu uma reação dos frequentadores do local à mais uma das corriqueiras batidas policiais.

No estado de Nova York naquela época não era permitido vender bebidas alcoólicas nos chamados “estabelecimentos de desordem”, e homossexuais eram considerados, por natureza, desordeiros.

A “Revolta de Stonewall”, como ficou conhecida, deu início a seis noites de protestos, o que representou o divisor de águas para o movimento LGBT no mundo. Desde então ocorre anualmente a comemoração.


AJUDE A MANTER ESTE BLOG NO AR


Se alguém ainda tem algum problema em lidar com as diversidades, sugiro pensar um pouco fora da caixinha. O mundo é muito grande, a natureza é imensa… por que nosso pensamento deveria ser minúsculo?

Dia 24 (segunda)

Condenado a pouco mais de 197 anos de prisão, o corrupto e ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, ficará por 30 longos dias isolado em sua cela. A punição é uma resposta ao Home Theater que o presidiário mandou instalar na Cadeia Pública de Benfica, em 2017.

Talvez ele quisesse dar à cadeia um pouco do conforto que tinha nos tempos em que roubava dinheiro do contribuinte.

Dia 25 (terça)

Este foi um dia bastante movimentado para a imprensa brasileira, e por que não dizer, também para a imprensa internacional?

No avião da Força Aérea Brasileira, que dá apoio à comitiva de acompanhou Bolsonaro na viagem à Tóquio, no Japão, foram encontrados 39Kg de cocaína na mala de um dos tripulantes da aeronave, o sargento Manoel Silva Rodrigues, militar de carreira de 38 anos.

Ele atuava como comissário de bordo do avião presidencial, mas estava em aeronave diferente da que estava o presidente e seu destino era Sevilla, na Espanha, onde a droga foi encontrada por autoridades locais.

Apesar de o caso estar sendo tratado como “transporte de entorpecentes”, a verdade é que se trata mesmo de “tráfico internacional de drogas”, e com um agravante: realizado em avião da Força Aérea Brasileira.

Infelizmente usar aviões da FAB para traficar drogas não é novidade. Há 20 anos, três oficiais foram presos por tentar enviar, também para a Espanha, quase 33 quilos do pozinho do capeta.

É claro que este tipo de incidente não joga por terra a importância e o respeito que a FAB possui, mas é absolutamente preocupante que aeronaves militares sejam utilizadas para este fim.

E da mesma forma que militares se corromperam para traficar, algum fardado destrambelhado poderia muito bem colocar bombas num avião destes e realizar um ataque terrorista em algum lugar do planeta.

A FAB disse em nota que vai reforçar a segurança. Isso é o mínimo que se espera.

No mesmo dia, mais uma notícia repercutiu no Brasil. Por decisão de maioria dos ministros da Segunda Turma do STF, Lula permanecerá hospedado na Polícia Federal de Curitiba, tecnicamente preso, depois que os dois pedidos de habeas corpus impetrado por sua defesa foram derrubados na Suprema Corte.

Enquanto o pau quebrava no STF, o jornalista e homem forte do site The Intercept Brasil era sabatinado por deputados que queriam saber mais sobre as gravações de conversas entre o então juiz Sergio Moro e procuradores da Lava Jato que, para muitos, soaram como suspeitas.

Numa audiência com pouca participação do PSL, partido do governo que vem criticando severamente o jornalista americano, Glenn Greenwald explicou que ainda há muito material a ser publicado, inclusive áudios, vídeos e documentos.

Vamos aguardar as cenas do próximo capítulo.

Mas o dia 25 ainda reservou mais uma notícia que tem como personagem principal, este que vos fala. Durante audiência pública realizada na Câmara Legislativa do Distrito Federal com o objetivo de debater o projeto de lei que pretende provocar economia de R$ 300 milhões por legislatura, inclusive banindo a maldita verba indenizatória dos deputados distritais, eu aproveitei para dar um puxão de orelhas na Casa. Se quiserem ver, aqui está o endereço.

luciobig.com.br/instituto-ops-apoia-o-projeto-do-camara-barata

Dia 26 (quarta)

O senado aprovou as 10 medidas de combate à corrupção que agora volta para a Câmara para novamente ser votado. Porém, um dos senadores que disse SIM às dez medidas não teve um dia tão feliz assim. Depois de ter sido autorizado pela Justiça do Distrito Federal a passar férias num resort em Aruba, no Caribe, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) viu seu passeio ir por água abaixo – águas cristalinas de Aruba, diga-se de passagem – depois que a Procuradoria-Geral da República acionou o STF que, imediatamente suspendeu a decisão do TJDF.

Acir foi condenado a 4 anos e meio de prisão por cometer crimes contra o sistema financeiro.

Como se já não bastasse termos que conviver com a realidade de se ter um parlamentar preso exercendo seu mandato, ainda é preciso que o Supremo Tribunal Federal seja acionado para derrubar a determinação da juíza Leila Cury que não viu problemas em liberar o senador para se hospedar num resort com cassino e bebidas alcóolicas, o que contraria regras da Vara de Execuções das Penas em Regime Aberto (Vepera) que proíbem ao condenado, o consumo de bebidas alcoólicas e de frequentar “locais de prostituição, jogos, bares e similares”.

É a Justiça fazendo justiça sobre a própria Justiça.

27 (quinta)

Enquanto Paulo Guedes, ministro da Economia e posto Ipiranga de Bolsonaro, afirmava que liberará mais de R$ 100 bilhões de compulsórias, o que se traduz em liberação de créditos pelos bancos a clientes, e que o botijão de gás poderá ficar até 50% mais barato, o rechonchudo Carlos Bolsonaro, Tonho da Lua para os íntimos, voltava sua artilharia pueril contra vereadores de sua oposição na Câmara Municipal do Rio, onde, tecnicamente, Carlos exerce o mandato.

Tudo começou quando Reimont (PT) cobrou explicação da presidência da República sobre o caso do tráfico internacional de drogas feito em avião da FAB. Carlos criticou Reimont e de forma quase infantil o chamou de “cara de balão”. Outro vereador, Tarcísio Motta (Psol), tomou as dores ao exigir respeito ao colega e ouviu o disparo verbal de Carlos:

— Respeito é o cacete! Eu respeito quem eu quiser! E você tem que ir pra Venezuela fazer um regime porque está muito gordinho, tá bom?

E complementa: — Relaxa, fofinho!

Tarcísio, porém, não relaxou e disse que vai levar Carlos “gorduchinho” Bolsonaro ao Conselho de Ética pelas suspeitas de que tenha havido contratação de fantasmas em seu gabinete.

Mas não é só Carluxo que fala asneiras em público. O ministro do MEC, Abraham Weintraub, na impossibilidade de se vestir de verde limão com uma melancia dependurada no pescoço, escreveu em sua conta no Twitter, em referência ao avião em pó da FAB, a seguinte frase: “No passado o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?”

A reação da petralha Gleisi “narizinho” Hoffmann, presidente do PT, foi imediata e disse que vai processar o ministro dançarino na Justiça.

28 (sexta)

E o governo perde mais uma no Congresso. A Medida Provisória (MP) 873, que proibia a cobrança da contribuição sindical na folha de pagamento do trabalhador, caducou nesta sexta-feira, 28, sem que os parlamentares instalassem ao menos uma comissão especial para analisar o tema.

Com isso, a contribuição sindical volta a valer, isto é, poderá haver o desconto diretamente no contracheque do trabalhador que equivale a um dia de trabalho por ano. Como definido pela reforma trabalhista, a obrigatoriedade deixou de existir e o trabalhador tem a opção de contribuir ou não.

Se você é sindicalizado e não quer contribuir, preste muita atenção: alguns sindicatos realizarão assembleias para decidir se a contribuição será imposta ou não, e como vale o desejo da maioria, e se decidirem por implementar a cobrança obrigatória, você terá que participar dessa contribuição. Portanto, exija que a opção seja individual.

29 (sábado)

E para fechar o A Semana em Minutos de hoje, uma notícia que comove até mesmo quem tem fama de durão.

Na linda cidade de São José dos Campos-SP, uma senhora conhecida como Dona Cidinha, vivia sozinha numa casa apesar de achar que tinha companhia de animais de estimação que sempre estavam com ela em sua cama. Os animais que ela se referia, porém, não eram seus cães, mas sim, ratos.

Debilitada, abaixo do peso, sem filhos, vivendo de maneira subumana e ajudada, vez ou outra por vizinhos, Dona Cidinha foi descoberta por Esdras Andrade, de 33 anos.

O jovem que administra o Projeto Abrigo Escola, instituição que cuida de mais de 100 animais, entre cães e gatos, se sensibilizou com a situação de Dona Cidinha e resolveu que a ajudaria. Esdras fez um pedido formal à prefeitura para que lhe conseguissem uma vaga em um abrigo da cidade, a convenceu a morar com ele enquanto reformava a casa de Dona Cidinha e nos 51 dias em que viveram juntos, a senhora de 83 anos teve sensível melhora em seu aspecto físico e, claro, emocional.

A prefeitura encontrou uma vaga e agora Dona Cidinha está sob novos cuidados e sempre recebe visita de seu jovem amigo.

Esdras tem recursos financeiros escassos e seu projeto funciona num lote alugado. Ele precisa adquirir um terreno para que possa sair do aluguel e pra isso abriu uma vaquinha. Se você puder ajudar, a hora é essa.

Esdras é mais um brasileiro que vale a pena ser cumprimentado e aplaudido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.