geral

Governo cai em meio a escândalos de corrupção


Não. Não foi no Brasil.

O chanceler federal da Áustria, Sebastian Kurz, e seu gabinete conservador foram destituídos nesta segunda-feira (27/05) após partidos de oposição reunirem forças numa moção de desconfiança no Parlamento. Esta é a primeira vez que um governo é destituído no pós-guerra no país.

A moção de desconfiança contra Kurz, do Partido Popular da Áustria (ÖVP, siglas em alemão), foi proposta pelo Partido Social-Democrata (SPÖ), de centro-esquerda, a maior força de oposição. O até então parceiro de coalizão do ÖVP, o Partido da Liberdade da Áustria (FPÖ), de extrema direita, apoiou a moção.

Ambas as legendas que votaram contra Kurz o acusaram de usar alegações de corrupção contra o ex-vice-chanceler federal e líder do FPÖ Heinz-Christian Strache para convocar eleições antecipadas, afastar ministros da legenda de extrema direita e, assim, assumir o controle total sobre o governo.

Tais alegações de corrupção contra Strache, que ficaram conhecidas como “caso Ibiza”, fizeram com que ele renunciasse e levaram a coalizão de governo a rachar. Em meados de maio, jornais alemães divulgaram um vídeo gravado na ilha espanhola em que o líder do FPÖ promete favores políticos e contratos públicos a uma suposta milionária russa em troca de apoio eleitoral.

Na votação desta segunda-feira no Parlamento, 110 deputados votaram a favor da destituição de Kurz e seu gabinete de ministros. No total, 71 parlamentares – 61 do ÖVP e dez do partido opositor liberal Neos – votaram a favor de manter o governo de Kurz até eleições antecipadas, previstas para setembro. Dois deputados independentes se abstiveram.

De acordo com a Constituição austríaca, cabe agora ao presidente Alexander van der Bellen apontar um gabinete de especialistas para governar interinamente até as novas eleições.

Em discurso nesta segunda-feira em Viena, Kurz afirmou que ele e seu partido de centro-direita pretendem voltar ao poder ainda mais fortes. “As mudanças que começamos dois anos atrás não terminarão hoje”, declarou.

Ele disse ainda estar ansioso para ajudar o governo interino a garantir estabilidade ao país nos próximos meses, e prometeu lutar para conquistar de volta seu cargo. “No final, o povo decidirá em setembro, e estou feliz com isso”, disse o político aos gritos de “chanceler Kurz” entre a multidão presente.

Nas eleições para o Parlamento Europeu no último domingo, o conservador ÖVP foi o partido mais votado na Áustria, com 34,9% da preferência do eleitorado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.