Damares “damarizando”, a saída de Bebianno e a reforma da Previdência


Em A Semana em Minutos, as notícias que marcaram a semana de 11 a 16 de fevereiro de 2019.

Assista ao vídeo, se preferir

11 de fevereiro

A semana começou com uma notícia trágica, a morte de Ricardo Boechat. Considerado por muitos, inclusive por mim, como o melhor apresentador de telejornais do país. Por três vezes ganhou o prêmio máximo do jornalismo brasileiro, o Prêmio Esso.

Ronaldo Quattrucci, piloto do helicóptero que vitimou Boechat, também morreu no acidente ocorrido no dia 11, por volta do meio-dia  em trecho do Rodoanel, em São Paulo. Naquela manhã, durante apresentação de seu programa na rádio BandNews FM, Boechat cobrou da Justiça a apuração sobre as tragédias de Brumadinho e do Ninho do Urubu.

2019 não está sendo fácil!

12 de fevereiro

Senadores desarquivaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de autoria do ex-senador e pastor evangélico Magno Malta que proíbe o aborto em qualquer circunstância.

De acordo com a proposta, se uma mulher engravidar após ser violentada por um meliante que ela nunca viu na vida ou se a  gravidez representar grande perigo à sua vida, ela não poderá abortar.

A PEC volta agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para ser analisada e se algum dia for aprovada, o Artigo 5º da Constituição será alterado e passará a constar  “a inviolabilidade do direito à vida desde a concepção”.

Sem querer entrar na discussão se o aborto deve ou não ser autorizado por lei, penso aqui com os meus botões: se a Lauriete Rodrigues, esposa de Magno Malta, fosse violentada e disso resultasse uma gravidez. Será que o ex-senador criaria o filho do estuprador da mesma forma que seus próprios filhos?

13 de fevereiro

Gustavo Bebianno diz adeus ao governo Bolsonaro. O Secretário Geral da Presidência  é o pivô do caso dos candidatos laranja do PSL. No início da semana o presidente Bolsonaro e seu ministro haviam negado a vacância do cargo ministerial, mas depois de falhar nos acordos que tentou fazer nos últimos dias, a demissão de Bebianno será publicada no Diário Oficial de segunda-feira, dia 18.

A relação começou a azedar depois que Bolsonaro desmentiu publicamente seu ministro, dizendo que não houve conversa entre os dois. Bebianno havia dito que ambos conversaram por três vezes sobre o assunto da laranjada.

A desmentida ocorreu durante entrevista à Rede Record e reverberada país afora. Bolsonaro disse ainda que determinou que a PF investigasse o caso e na eventualidade de Bebianno ter sido responsável pela laranjada azeda das eleições passadas, ele seria demitido.

Bebianno exercia a presidência do PSL quando sua ex-assessora, Érika Santos, recebeu R$ 250 mil do fundo partidário para sua campanha a deputada estadual de Pernambuco.

Mais de R$ 50 mil foram gastos, segundo Érika, numa gráfica que, visitada pela Folha de São Paulo, descobriu-se que não havia maquinário para impressões de material de campanha. Maria de Lourdes, também membro do partido do presidente recebeu dinheiro público para concorrer à deputada federal, tendo recebido míseros 274 votos.

Nos dois casos, o partido escolheu de última hora as candidatas para que assim confirmasse em seu quadro de candidatos  os 30% de mulheres exigidos pela legislação eleitoral.

Mas a prática não parece ter sido exclusividade do PSL. Outros 13 partidos, em especial o PRB, Pros, MDB, PSD e PR também registraram repasses de volumosos recursos públicos a candidatos que obtiveram votações pífias. Um exemplo é a candidata Sônia Fátima Silva Alves (DEM-AC) que recebeu quase R$ 280 mil, contratou 72 fornecedores e recebeu 6 votos.

Quando se sai da condição de pedra e passa a ser a vidraça, é normal que uma enxurrada de denúncias apareça. O governo tem que saber resolver todas essas pendências rapidamente e jamais deixar que sua credibilidade por parte da sociedade caia por terra, assim como o PT fez seguidas vezes.

14 de fevereiro

Depois de 166 mortos já reconhecidos e 144 pessoas ainda desaparecidas devido ao rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho-MG, o presidente da empresa Fábio Schvartsman permaneceu sentado enquanto todos os presentes da audiência pública se levantaram para um minuto de silêncio em homenagem às vítimas.

O fato se deu na Câmara dos Deputados durante uma audiência pública ocorrida no dia 14. No entanto, o diretor de comunicação da Vale disse que a atitude de Schvartsman foi também de respeito às vítimas.

O presidente da mineradora disse durante o evento que a Vale é uma joia brasileira e que não pode ser condenada pelo ocorrido “por maior que tenha sido a tragédia”.

Uma empresa da envergadura da Vale, ao abrir uma mineração, assume todos os riscos ao modificar a natureza, ao criar crateras e lagos de rejeitos.  Agora seu presidente diz que não pode ser condenada pela tragédia? Será que ele considerou alguma vez o valor da vida humana?

15 de fevereiro

E por falar em gente sem noção, aqui vai mais uma pérola da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. A alienada ministra, em mais uma de suas viagens ao seu universo paralelo, aconselhou pais e mães a fugirem do Brasil com suas filhas, pois, segundo ela, aqui é o pior lugar para se criar meninas na América do Sul.

Vale lembrar que ela já afirmou que pais holandeses masturbam seus bebês, disse que azul é de menino e rosa é de menina, que os evangélicos deveriam ocupar parte do espaço que a ciência tem nas escolas e que vivemos uma ditadura gay.

O que será que essa mulher tem? Será algo tratável com eletrochoque? Ainda existe eletrochoque, né?

Da loucura direto para a esperteza e cara-de-pau. Nesse mesmo dia 15 saiu reportagem na Folha que mostra até onde vai a audácia de alguns brasileiros.

Falsificar tênis, celulares e relógios não é novidade alguma. Mas falsificar carros da Ferrari e Lamborghini não parece ser algo comum no mundo. Três suspeitos foram levados à delegacia do ABC paulista para prestar depoimento e depois liberados. Eles foram flagrados montando réplicas de carros famosos.

No local foram encontrados a réplica pronta de uma Lamborghini, outras duas em processo de fabricação e a carcaça de uma Ferrari.A casa caiu depois que a empresa italiana denunciou  a venda de réplicas de seus carros na internet.

Diferentemente do engenheiro João Augusto Gurgel, que projetou e fabricou veículos 100% nacionais devidamente registrados, o trio do ABC paulista é só mais um grupo de cidadãos do Brasil que prefere manter o carma do “jeitinho brasileiro”.

16 de fevereiro

Governo decidiu acabar com a aposentadoria apenas por tempo de contribuição sem uma idade mínima. A proposta de reforma da Previdência deverá ser conhecida oficialmente no próximo dia 20.

Se aprovada, os contribuintes terão 12 anos para se adaptarem às novas regras que, em resumo, obriga o contribuinte a se aposentar apenas aos 65 anos para homem e 62 para mulher.

O texto também prevê que os militares entrarão no balaio e só se aposentarão com 35 anos de serviço e não mais 30, como é hoje. O servidor público também será impactado e sua contribuição mensal passará dos atuais 11% para 14% sobre o salário.

Caso a reforma passe no Congresso como está na proposta, trabalhadores com menos de 50 anos de idade hoje terão que trabalhar até os 65 ou 62 anos, a depender do gênero. Este que vos fala será um dos atingidos.

Os anéis se vão, mas os dedos ficam.



Categorias:A semana em minutos, Política

Tags:, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: