Pedido de prisão de Aécio só será julgado em agosto, depois do recesso do Judiciário


O pedido de prisão do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) só será julgado no Supremo Tribunal Federal (STF) após o recesso do Judiciário, tradicionalmente usufruído em julho. A informação foi confirmada ao Congresso em Foco pelo gabinete do ministro Marco Aurélio Mello, presidente da Primeira da Turma do STF.

A decisão estava prevista, inicialmente, para o dia 20 de junho. Na sessão, a Primeira Turma decidiu conceder prisão domiciliar a Mendherson Lima, ex-assessor parlamentar de Zezé Perrella (PMDB-MG), Andréa Neves e Frederico Pacheco, irmã e primo de Aécio, respectivamente, e adiou a decisão sobre Aécio. Andréa e Frederico eram investigados no mesmo inquérito que apura se Aécio cometeu crime de corrupção passiva e obstrução de justiça, mas o STF declinou competência e eles terão seus casos remetidos à justiça de São Paulo.

A Turma decidiu adiar para a reunião desta terça, mas não haverá tempo hábil para julgar o caso antes do recesso. O processo está com vista à procuradoria-geral da República para que emita um posicionamento sobre o requerimento da defesa, que pede que o afastamento e a prisão do tucano sejam julgados pelo pleno da Corte, com 11 ministros, e não pela Primeira Turma, com cinco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s