Dilma chama de mentirosa delação de Marcelo Odebrecht sobre caixa dois


A ex-presidente Dilma Rousseff rebateu as declarações do empreiteiro Marcelo Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e negou que tenha recebido dinheiro por meio de caixa dois durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014. Em nota, a petista afirmou que é “mentirosa” a informação de que ele pediu recursos à empreiteira, como afirmou Marcelo Odebrecht. Segundo o empreiteiro, foram repassados R$ 120 milhões ilegalmente à campanha de Dilma e Michel Temer em 2014.

A ex-presidente também nega que tenha indicado o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega como seu representante junto a qualquer empresa com o objetivo de arrecadar para as campanhas presidenciais. “Nas duas eleições, foram designados tesoureiros, de acordo com a legislação”, diz a nota ressaltando que o próprio Guido Mantega desmentiu a informação.

Dilma também atacou a divulgação “seletiva” de trechos de “declarações ou informações truncadas”. Para a petista, novas suspeitas vêm à tona sempre “contra os artificies do golpe de 2016″ – como chama seu processo de impeachment.

Por fim, a nota reitera que “todas as doações às campanhas de Dilma Rousseff foram feitas de acordo com a legislação, tendo as duas prestações de contas sido aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral”.

Leia a íntegra da nota da ex-presidente Dilma Rousseff:

Sobre as declarações do empresário Marcelo Odebrecht em depoimento à Justiça Eleitoral, a Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff afirma:

1. É mentirosa a informação de que Dilma Rousseff teria pedido recursos ao senhor Marcelo Odebrecht ou a quaisquer empresários, ou mesmo autorizado pagamentos a prestadores de serviços fora do país, ou por meio de caixa dois, durante as campanhas presidenciais de 2010 e 2014.

2. Também não é verdade que Dilma Rousseff tenha indicado o ex-ministro Guido Mantega como seu representante junto a qualquer empresa tendo como objetivo a arrecadação financeira para as campanhas presidenciais. Nas duas eleições, foram designados tesoureiros, de acordo com a legislação. O próprio ex-ministro Guido Mantega desmentiu tal informação.

3. A insistência em impor à ex-presidenta uma conduta suspeita ou lesiva à democracia ou ao processo eleitoral é um insulto à sua honestidade e um despropósito a quem quer conhecer a verdade sobre os fatos.

4. Estranhamente, são divulgadas à imprensa, sempre de maneira seletiva, trechos de declarações ou informações truncadas. E ocorrem justamente quando vêm à tona novas suspeitas contra os artífices do Golpe de 2016, que resultou no impeachment da ex-presidenta da República.

5. Dilma Rousseff tem a certeza de que a verdade irá prevalecer e o caráter lesivo das acusações infundadas será reparado na própria Justiça.

6. Por fim, cabe reiterar que todas as doações às campanhas de Dilma Rousseff foram feitas de acordo com a legislação, tendo as duas prestações de contas sido aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral.

ASSESSORIA DE IMPRENSA

DILMA ROUSSEFF”

POR CONGRESSO EM FOCO
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s