Política

Lindbergh acusa Moro de abuso de autoridade e juiz critica “criminalização da Lava Jato”


Uma queda de braço verbal marcou a sessão temática em curso no Senado para discutir o projeto de lei que trata do abuso de autoridade (PLS 280/2016). O evento foi idealizado pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e reúne o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações da Operação Lava Jato, entre outros. E foi justamente Moro, provocado pelo líder da minoria no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), que protagonizou – junto com o petista – o momento mais tenso do debate.

Em sua intervenção, o senador Lindbergh questionou Moro sobre a condução coercitiva do ex-presidente Lula, em 4 de março, e sobre o episódio da gravação de uma conversa entre os ex-presidentes Lula e Dilma. Segundo o senador, houve um claro abuso de poder por parte das ações da força-tarefa da Lava Jato.

Entre Renan e Requião, Moro ouve Lindbergh criticá-lo na tribuna