Em depoimento ao TSE, empreiteiro diz que foi procurado por tesoureiro informal de Aécio


O ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Marques de Azevedo disse, em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que o ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais(Codemig)  Oswaldo Borges da Costa pediu doação para a campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência, em 2014. Segundo empresário, ele e Oswaldo se reuniram naquele ano para acertar o repasse. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O depoimento foi prestado no dia 19 de setembro em função da ação movida pelo PSDB contra a chapa Dilma-Temer. O relator do caso, ministro Herman Benjamin, ouviu de Azedo detalhes sobre como eram feitas as doações eleitorais da empreiteira – Azevedo contou que todos os recursos saíam do mesmo caixa da empresa. Questionado sobre repasses a outros políticos e partidos, o empreiteiro informou sobre o encontro com Oswaldo Borges para tratar de doação ao PSDB.

“Fui procurado pelo senhor Oswaldo Borges da Costa, também, que era…trabalhava não sei em que função lá, com o candidato (Aécio Neves). E, basicamente, essas demandas (de doação) vinham através deles”, disse Azevedo.

O empreiteiro disse ainda que encontrou com Oswaldo apenas uma vez para comunicar que teria feito uma doação para a campanha de Aécio. A Polícia Federal identificou o contato entre os dois em trocas de mensagens no celular do executivo da Andrade Gutierrez.

O ex-presidente da Codemig (cargo ocupado durante a gestão de Aécio no governo do Estado) atuava informalmente como tesoureiro da campanha do senador tucano. Oficialmente, a função era desempenhada pelo ex-ministro José Gregori. Em nota, o PSDB afirma que Oswaldo atuou na campanha daquele ano “apoiando o comitê financeiro”, junto com o empresário Sérgio Freitas.

De acordo com as prestações de contas das campanhas dos candidatos à Presidência, em 2014 a Andrade Gutierrez doou R$ 21 milhões para a chapa do PT-PMDB e R$ 20 milhões para os tucanos. O PSDB nega qualquer irregularidade nas doações.

Veja a íntegra da nota do PSDB:

O sr Oswaldo Borges atuou na campanha eleitoral do PSDB em 2014 – ao lado do sr Sérgio Freitas e tendo sido o ex-ministro José Gregori coordenador financeiro – , apoiando o comitê financeiro, sendo esse um fato de amplo conhecimento público, não havendo nele nenhum tipo de incorreção.

Não foi apontada qualquer irregularidade em todo o processo. Quanto ao posto de “tesoureiro informal” ele simplesmente não existe já que todos os contatos realizados foram formais.

O próprio empresário no depoimento confirma a regularidade dos contatos mantidos com a campanha, assim como das doações realizadas, todas elas declaradas à Justiça Eleitoral.

“SENHOR OTÁVIO MARQUES DE AZEVEDO (depoente): Simplesmente é você ter ou não ter compromisso vinculado. Nós não tínhamos com o candidato Aécio nenhum projeto, nenhuma… nada em execução, nada, nada, nada. Não tínhamos nada, não tínhamos compromisso, em 2014, polo menos que eu saiba, nenhum compromisso que levasse a uma doação… é… vinculada a obra, a projeto, não existiu isso. Não existiu isso.” Trecho depoimento do sr Otávio Azevedo ao ministro Herman Benjamin (PAG. 27)

POR CONGRESSO EM FOCO
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s