Podemos estar cometendo um erro, mas a democracia se corrigirá, diz Renan Calheiros


Em seu último discurso antes do julgamento final do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que os senadores podem “estar cometendo um erro, seja qual for o veredito que derem”, mas ressaltou que “a democracia se corrigirá”.

O presidente do Senado aproveitou para pedir desculpas ao país “por qualquer atitude mais contundente ou emocional”, como no episódio em que subiu o tom contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) – que afirmou que “este Senado não tem moral para julgar a presidente Dilma”.

Ressaltando o caráter histórico do julgamento, Renan afirmou que “um dia a história nos julgará. E a única certeza é que nós não nos omitimos”. “Haverá um dia seguinte”, afirmou o peemdebista alertando os senadores sobre a importância de estarem serenos para a votação – que deve ocorrer no início da tarde desta quarta-feira (31).

Por fim, Renan afirmou: “A democracia não é o regime perfeito porque é infalível, mas porque corrige suas próprias imperfeições”. E citou Ulysses Guimarães: “É caminhando que se abre o caminho”.

Com dez inquéritos no Supremo (oito deles decorrentes da Operação Lava Jato), o presidente do Senado, que presidiu a sessão que afastou Dilma do Palácio do Planalto, é coadjuvante de Lewandowski na reta final do processo. E, diferentemente do que ocorreu em maio, não descarta votar desta vez.

POR GABRIEL PONTES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s