Um em cada três senadores é alvo de investigação no STF


“Os parlamentares congregados nesta Casa de leis transmudam-se, a partir de agora, em verdadeiros juízes”. Esta foi a advertência feita pelo presidente do STF Ricardo Lewandowski ao iniciar os trabalhos no Senado Federal para, enfim, julgar o impeachment de Dilma Rousseff.

Conforme manda a lei, este tipo de julgamento é realizado no Senado e presidido pelo chefe do poder judiciário que, durante dias conduzirá os trabalhos que culminarão na absolvição ou condenação da presidente da República. Os juízes em questão são, justamente, os senadores.

Entretanto, como se fosse uma piada de mau gosto, 26 desses “juízes” tem contas a acertar com a justiça. Há acusações que vão de crime de violência doméstica até crimes ambientais, passando por crimes de peculato, formação de quadrilha, corrupção passiva e ativa e chegando ao cúmulo de ter, entre eles, um nobre parlamentar que só não está na cadeia por ter recorrido da sentença de quase cinco anos de xilindró.

É neste cenário caótico que será decidido o futuro da condução do país pelos próximos dois anos.

O impeachment ocorrerá se ao menos dois terços do colegiado assim decidir. Num universo de 81 senadores, bastam que 54 deles apoiem o pedido de afastamento definitivo de Dilma do Palácio do Planalto.

Veja quem são os senadores com contas a acertar na justiça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s