Com direção sob suspeita, Câmara do Distrito Federal busca novo vice-presidente


Os deputados distritais se reúnem às 15h desta segunda-feira (22) para eleger o novo vice-presidente da Câmara Legislativa. O cargo está vago desde a última quarta-feira (17), quando a deputada Liliane Roriz (PTB) renunciou ao posto depois de divulgar gravações envolvendo seus colegas em suspeita de participação em esquema de corrupção. Até o momento, apenas o deputado Juarezão (PSB) declarou publicamente o desejo de assumir a vice-presidência da Casa. O parlamentar é do mesmo partido do governador, Rodrigo Rollemberg, tem o apoio do Buriti e também do deputado Agaciel Maia (PR) – favorito para ser o presidente do Legislativo no próximo biênio (2017-2018).

Os deputados da base aliada de Rollemberg devem alinhar o discurso pró-Juarezão em almoço com o governador nesta segunda, pouco antes da eleição para vice-presidência.

Nos bastidores, também foram ventilados os nomes do oposicionista Ricardo Vale (PT) e de Rodrigo Delmasso (PTN), que tem bom trânsito entre os diversos blocos da Casa. Ambos, porém, declaram-se desinteressados no cargo.

Assumir a vice-presidência neste momento é considerado, no mínimo, arriscado. Já que praticamente toda a Mesa Diretora está posta em xeque com as acusações de Liliane Roriz. A parlamentar gravou áudios denunciando a alta cúpula da Casa de se beneficiar ilegalmente da liberação de R$ 30 milhões que sobraram do orçamento da Câmara no ano passado.

Liliane Roriz é filha de Joaquim Roriz, que foi governador do Distrito Federal por quatro mandatos. Corre contra ela um processo de cassação movido pela OnG Adote Um Distrital, que tramita na corregedoria. Ela é acusada de improbidade administrativa.

Reeleição

Quem se eleger hoje vice-presidente da Casa não poderá se manter no cargo no próximo biênio. A não ser que a presidente, Celina Leão, consiga aprovar a proposta de emenda à Lei Orgânica que possibilita a reeleição da Mesa Diretora da Casa – o que é improvável no atual cenário político. O novo vice-presidente, porém, poderá se candidatar a outros cargos na Mesa.

No cenário de incertezas em que se encontra a Câmara Legislativa, o vice-presidente pode se tornar figura poderosa na Casa, ainda que em pouco tempo de mandato. Isso porque o afastamento de Celina Leão do cargo já está sendo defendido por parlamentares de oposição e entidades sociais. Caso esse cenário se concretize, o vice assumiria a cadeira de Celina e teria em mãos a poderosa caneta da presidência.

Por outro lado, aliados de Celina, que ainda representam um número significativo de parlamentares, têm feito um cordão de isolamento para blindar o mandato e o cargo dela na Mesa Diretora.

Antes de abrir a sessão no plenário da Casa nesta segunda-feira, os distritais farão uma reunião para decidir o rito da eleição para vice-presidência. Os parlamentares só podem se candidatar oficialmente após a abertura da sessão. Após discursos, é aberta a votação e logo em seguida o eleito já assume o cargo. Só haverá eleição porque Liliane Roriz renunciou ao cargo faltando mais de três meses para o fim do mandato da Mesa Diretora.

POR GABRIEL PONTES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s