Devolva a grana, Magda!


Foto PR GO 2

Aluguel de R$ 13,8 mil

A deputada federal Magda Mofatto (PR-GO), empreendedora de sucesso na região de Caldas Novas, exerce seu segundo mandato seguido na Câmara Federal. Proprietária de um grupo de empresas no ramo de hotelaria, imobiliária e construção, a parlamentar utiliza parte de sua verba, hoje na casa dos R$ 35,5 mil por mês, para manter em funcionamento seu escritório de representação política em Goiânia. Pelo menos é o que deveria ser.

O imóvel, localizado em região nobre da capital goiana, abriga também diretório do PR-GO, presidido por seu marido, Flávio de Paula Canedo. É uma espécie de 2 em 1 bancado com dinheiro público.

Apenas com a locação da mansão situada à Rua 1133, Nº 61, quadra 258, lote 2 no Setor Marista, o contribuinte já desembolsou R$ 528 mil e desses, pelo menos R$ 389 mil foram para pagar o aluguel do diretório.

Qualquer um dos 513 deputados pode utilizar de sua verba indenizatória para custear escritório de representação política no estado de origem. Além do aluguel, as contas de água, luz, telefone, TV por assinatura, material de expediente, IPTU e TLP também podem ser pagas por este farto e fácil dinheiro público. Por outro lado, diretórios partidários só podem ser mantidos financeiramente por doações, ações internas e pelo generoso Fundo Partidário. Portanto, usar o dinheiro da maldita CEAP, cuja verba indenizatória faz parte, é ato ilegal.

Mas os ressarcimentos feitos pela Câmara à deputada e que se referem aos “intrigantes” gastos, não se restringem aos aluguéis. Água, energia elétrica, telefones fixo e celular e TV por assinatura também são mensalmente incluídas na conta da Câmara Federal que, sem fazer qualquer questionamento, efetua o ressarcimento.

gráfico

Valores recebidos indevidamente pela deputada – R$ 451.692,27

Somando todas as despesas da mansão, desde que o atual presidente assumiu o cargo e até maio deste ano, a conta já ultrapassa os R$ 450 mil.

Como já informei em várias ocasiões, a Câmara dos Deputados se limita a verificar apenas a regularidade fiscal e contábil da documentação apresentada pelo parlamentar, como notas fiscais e recibos, deixando a cargo da sociedade a tarefa de fiscalizar o uso deste recurso, uma vez que nem sempre é possível contar com uma correta utilização do dinheiro público por parte de parlamentares.

O aparente descaso com o uso da verba indenizatória também é percebido nas contas de telefonia da mansão. Apesar de ser notório que ligações entre telefonias móveis custam menos que as realizadas entre móvel e fixo, sem contar todos os outros serviços de comunicação bem mais “batatos”, como Whatsapp e Skype, o “gabinete/diretório” usa fartamente as linhas fixas para realizar ligações para celulares, inclusive para fora do estado. No período de 23 de março a 22 de abril deste ano, por exemplo, foram realizadas ligações fixo-móvel que juntas custaram R$ 3,3 mil.

detalhe_da_conta_telefone

Conta telefônica da mansão – abril de 2016

Fazer a separação das ligações realizadas pelo diretório e pelo escritório político não parece ser uma tarefa fácil, uma vez que o número de telefone que origina as chamadas é o mesmo que está cadastrado no TSE, como sendo do diretório, e o divulgado como sendo do escritório político da deputada.

O outro lado

Por telefone, a deputada Magda Mofatto informou que o diretório estadual de seu partido nem recebe verba financeira do Fundo Partidário e nem possui qualquer outra fonte de renda. Afirmou ainda que devido à falta de dinheiro, até mesmo a despesa com o escritório de contabilidade da sigla foi paga do próprio bolso (dela). Disse ainda que o imóvel alugado é utilizado pelo partido apenas para receber correspondências e que ele, na verdade, não existe.

Contradizendo

detalhes

Uma das inúmeras postagens que comprovam a existência física do diretório estadual goiano do PR

Dados públicos disponíveis no site do TRE-GO confirmam a informação de que o diretório realmente não recebe dinheiro deste fundo, apesar de não haver impedimento legal para isso. Mas as redes sociais do próprio partido desmentem a deputada. Um farto material de imagens postado no perfil do diretório do partido no Facebook aponta o tal imóvel como sendo, de fato, o diretório regional do Partido da República em Goiás.

Se você ficou indignado com esta situação, assim como eu também fiquei, lhe convido a fazer parte da campanha “Devolva a grana, Magda!”.

Você não precisará gastar dinheiro, sair de casa, bater panela ou cuspir em ninguém. Basta enviar uma mensagem à deputada federal Magda Mofatto (veja instruções no final deste texto). Antes, porém, assista ao vídeo e prestigie a OPS – Operação Política Supervisionada – responsável por provocar uma economia superior a R$ 5 milhões do dinheiro público.

Para enviar a mensagem, clique aqui

 

4 comentários sobre “Devolva a grana, Magda!

  1. “Você não precisará gastar dinheiro, sair de casa, bater panela ou cuspir em ninguém. Basta enviar uma mensagem à deputada federal Magda Mofatto (veja instruções no final deste texto).”

    Vocês acham mesmo que isso vai funcionar.

    Curtir

  2. Pingback: O silêncio de Magda e a ação da OPS | Blog do Lúcio Big

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s