Delatora diz que recebeu R$ 6 milhões ilegalmente da campanha de Dilma


A dona de uma agência de publicidade admitiu em delação premiada da Operação Acrônimo, que recebeu R$ 6 milhões, ilegalmente de uma empreiteira e pagou despesas da campanha de Dilma Rousseff em 2010.

Na campanha presidencial de 2010, foi a agência de comunicação Pepper Interativa que cuidou da imagem de Dilma Rousseff nas redes sociais. A dona da empresa é a publicitária Danielle Fonteles, que fechou acordo de delação premiada.

Daniele é uma das investigadas na Operação Acrônimo, que apura um suposto esquema de financiamento ilegal de campanhas eleitorais. O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e a mulher dele, Carolina de Oliveira também são investigados.

A Polícia Federal suspeita que a primeira-dama de Minas seja sócia oculta da Pepper Interativa, e que tenha recebido comissões por meio dessa empresa. O nome da agência também foi citado na delação de ex-executivos da Andrade Gutierrez em outra operação: a Lava Jato.

A TV Globo confirmou que os ex-executivos admitiram o pagamento ilegal de dívidas de campanha da presidente Dilma em 2010. Na segunda-feira (28), o jornal Folha de S. Paulo trouxe mais detalhes sobre a notícia que saiu na revista veja no fim de semana. As informações também foram confirmadas pela TV Globo.

Os pagamentos envolvendo contratos fictícios com a agência Pepper Interativa somariam R$ 6 milhões. E, segundo os ex-executivos, esse dinheiro foi repassado à agência a pedido de Fernando Pimentel, que, na época, era um dos coordenadores da campanha da presidente.

A Operação Acrônimo apura, ainda, a suposta ligação do governador de minas com Benedito de Oliveira Neto, conhecido como ‘Bené’. Ele é dono de uma gráfica que prestou serviço para a campanha de Pimentel ao governo de Minas, em 2014. E é apontado pela Polícia Federal como operador do esquema.

Em fevereiro, o Superior Tribunal de Justiça já tinha autorizado a Polícia Federal a interrogar Fernando Pimentel. Os investigadores afirmam, reservadamente, que já há indícios suficientes para denunciar o governador ao STJ. Se a denúncia for aceita, Fernando Pimentel poderá ser afastado do cargo.

A coordenação financeira da campanha eleitoral de Dilma de 2010 afirmou que todos os pagamentos foram declarados ao TSE, que aprovou a prestação de contas.

A defesa de Fernando Pimentel disse que confia nas autoridades, mas lamentou o que chamou de divulgações precipitadas e seletivas de informações que deveriam estar sob sigilo.

O advogado de Carolina de Oliveira afirmou que as atividades públicas e privadas dela foram pautadas pela lei.

O PT de Minas e a Pepper Interativa não quiseram se manifestar.

O Bom Dia Brasil não conseguiu contato com os advogados do empresário Benedito Rodrigues Oliveira Neto.

Do G1, Bom Dia Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s